Anabolizantes

ok, vamos falar de bombas. Tentei evitar o assunto, mas os pedidos chegaram e vou ter que dar minha opinião. Mesmo na academia onde dou aula, vira e mexe aparece um aluno mais ansioso que pergunta se  deveria ou não usar desse recurso hormonal.

Minha resposta sempre é para procurar um especialista em medicina esportiva. Não incentivo e nem recrimino. Apenas aconselho a usar de bom senso e critério técnico. Em alguns casos desaconselho, quando o aluno realmente não precisa de bombas. Mas ja tive alunos muito magros que não conseguiam crescer nem por macumba. Daí indiquei um médico que os orientou nos ciclos enquanto eu montava seus treinos específicos.

Mas vamos conhecer mais sobre o assunto. Resumindo podemos dizer que os esteróides anabólicos(conhecidos também como bombas ou anabolizantes) são materiais sintéticos similares à testosterona (hormônio masculino). Os tipos mais utilizados são os injetáveis e orais, mas também podem ser encontrados em forma de cremes, selos de fixação na pele e sublinguais.

ORAIS: Via comprimido, sua ingestão passa pelo estômago, é absorvido pelo intestino, processado pelo fígado, então vai para a corrente sangüínea. Como o fígado é responsável pela destruição de qualquer corpo estranho no organismo, vários esteróides estavam sendo destruídos através de um processo chamado 17 alpha alcalinização. A alcalinização provoca uma sobrecarga no fígado que acaba danificado por um esforço para combater algo que não consegue processar.

INJETÁVEIS: são menos nocivos e passam pela corrente sangüínea via muscular, e umas das vantagens é que a base oleosa permanece na corrente sangüínea com uma longa duração, visto que o óleo demora para se dissipar no local da aplicação devido a sua viscosidade. As desvantagens dos anabolizantes injetáveis é que são mais tóxicos para os rins e são desconfortáveis devido a sua forma de aplicação.

As finalidades desses medicamentos são terapêuticas nos casos de tratamento de doenças como anemia, alguns tipos de câncer, casos de reposição hormonal, atrofias musculares causadas por certos tipos de doenças ou acidentes traumáticos. Agem no corpo em 2 efeitos diferentes:

> efeito androgênico, que influencia as características sexuais masculinas tais como o aumento do pênis e dos testículos, mudanças na voz, crescimento de pêlos na face, axila e áreas genitais, e aumento da agressividade;

> efeito anabólico, que influencia no aumento da massa muscular, força, velocidade de recuperação dos músculos e controle dos níveis de gordura corporal.Para o efeito anabólico esperado pelo atleta, eles agem nas fibras dos músculos permitindo retenção de água e nitrogênio, favorecendo maior síntese protéica. Isto fará com que as fibras aumentem consideravelmente de tamanho, e os músculos fiquem mais resistentes e volumosos.

Mas o simples uso de bombas não garante que o músculo cresça sozinho. Na verdade, as bombas permitem que as pessoas malhem de forma mais intensa, durante mais tempo e mais frequentemente, sem entrarem em estado de overtraining. E como consequência de um treino mais pesado, sem que se cansem tanto, ocorrem as mudanças "positivas" esperadas:

- Aumentam a capacidade do corpo de utilizar a proteína, permitindo ao atleta treinar com maior intensidade sem perder massa muscular;
- Aumentam a capacidade do corpo de desenvolver musculo; força e resistência;
- Atuam como anti-inflamatórios, ajudando a prevenir e curar machucados.


Mas por outro lado, os efeitos colaterais são graves. Além dos listados na figura ao lado, a Hepatotoxidade (quase todos os esteróides causam lesão no fígado) e os problemas de Tendões e Ligamentos (muitas vezes o aumento da força é desproporcional à capacidade de adaptação dos tendões e ligamentos) são os primeiros a aparecer e causar sérios danos.

São freqüentes as queixas de agressividade exacerbada, irritabilidade, agitação motora e aumento ou diminuição da libido. Daí a razão de durante a Segunda Guerra Mundial, os nazistas administrarem  hormônios derivados da testosterona para aumentar a agressividade dos soldados alemães.

Síndromes psiquiátricas como transtorno bipolar (anteriormente conhecida com o nome de psicose maníaco-depressiva), síndrome do pânico e quadros depressivos podem surgir na vigência do uso de doses elevadas. Em adolescentes de ambos os sexos, também pode ocorrer parada prematura do crescimento, tornado-os mais baixos do que ficariam sem o uso. Além do que a parada brusca do uso de bombas também pode produzir sintomas como depressão, fadiga, insônia, diminuição da libido, dores de cabeça, dores musculares e desejo de tomar mais anabolizantes. E tal como as drogas, o uso excessivo e descontrolado pode levar a morte.

0 comentários: