Biomecânica dos atores

A biomecânica é derivada de ciências naturais (fisiologia e anatomia) e fundamentada em ciências exatas (matemática e física). Tem por objetivo a análise física do movimento das estruturas biológicas que compõem o aparelho locomotor (ossos, músculos, tendões, ligamentos, etc). Estuda formas para otimizar o rendimento das atividades motoras, analisando e manipulando as variáveis físicas e mecânicas e as forças internas e externas a que estão sujeitas as estruturas biológicas, de modo a prolongar a atividade e a reduzir as sobrecargas que podem causar lesões.

É sabido que lesões físicas afastam muitos atores dos palcos, em especial lesões de membros inferiores e articulações do joelho e tornozelo. Em bailarinos isso é mais facilmente evidenciado e relatado em estudos científicos. Se pensarmos em atores de teatro musical, que acumulam as duas funções, não é difícil de entender o porquê da necessidade de stand-bys (substitutos) para os personagens.

Trabalhei em produções musicais em que os stand-bys eram solicitados a entrar ao palco mais vezes que os próprios titulares dos papéis. Isso acontecia devido ao despreparo dos atores principais ou mesmo à deficiência na preparação física para a execução das coreografias ou necessidades motoras dos atores no palco. No espetáculo da Disney "100 anos de Magia", no qual eu fazia os personagens John Smith e a Fera, os atores atuavam e dançavam vestindo pesados figurinos dos desenhos animados da Disney. A Bela usava uma saia de gala que pesava 15 kgs, e a Fera era montada numa armação de metal e pelúcia que somavam 35 kgs. Imagine o risco de dançar e rodopiar numa valsa com essa sobrecarga na coluna dos atores.

Mesmo em produções em que o figurino não pesa tanto, há necessidades físicas que podem gerar sobrecargas lesivas aos artistas. No musical West Side Story (2009) com direção de Jorge Takla, os atores e bailarinos escalavam muros, pulavam grades e executavam coreografias com grandes saltos em extrema agilidade e rapidez enquanto cantavam e falavam seus diálogos. São habilidades e capacidades motoras que devem ter suas cargas controladas e manipuladas de modo a evitar lesões e afastamentos.

As sobrecargas nas estruturas biológicas do aparelho locomotor, bem como a análise do melhor padrão de movimento para diversas habilidades, são estudadas pela biomecânica em alguns sistemas de medições que compõem grandes áreas de pesquisas biomecânicas: Cinemetria, Dinamometria, Eletromiografia e Antropometria. O resultado desses estudos produzem informações que permitem ao educador físico manipular cargas, traçar planos de treinamento e corrigir movimentos visando a saúde dos artistas.

Esses estudos já são feitos em associações médicas americanas e inglesas, chamadas de Performing Arts Medicine Associations, visando auxiliar produções da Broadway e do West End, redutos de teatros comerciais de Nova York e Londres respectivamente, cujas produções possuem grande número de apresentações semanais em longas temporadas. No Brasil são escassos os estudos com atores, sendo mais estudados os bailarinos clássicos em determinados movimentos do ballet. Da mesma forma que são escassos os educadores físicos que preparam os atores para o palco, função geralmente exercida por bailarinos ou mímicos sem especialização. Será que essas são as razões do uso intensivo de stand-bys nas produções nacionais?

0 comentários: