Suplementos errados


Começo a semana falando sobre alguns erros de suplementação que vejo pela academia. Na vontade de potencializar o treino com o uso desses "aditivos", muitos alunos acabam por jogar dinheiro fora ou ainda forçarem seus rins e fígados a trabalhar mais do que precisam. Será seu caso?

Escreverei em tópicos pois assim facilita a leitura dessas dicas:



  1. uso do pré-treino 
    sem dúvida que o pré-treino é um bom estimulante e pode ajudar a treinar mais e pesado, contudo, ficar dependente dele para ir pra academia já torna-se prejudicial. Se você não conseguir um bom rendimento na academia deixando de tomá-lo por 2 ou 3 dias, então cuidado.

  2. tomar creatina antes do treino
    o efeito da creatina ocorre depois da saturação celular, o que leva alguns dias de suplementação. Portanto, de nada adianta tomar creatina e sair correndo pra academia, pois seu efeito não é imediato. Pode-se tomar creatina em qualquer horário do dia, preferencialmente junto de algum carboidrato simples.

  3. tomar dextrose antes do treino
    ao invés de melhorar o treino, pode piorar, pois o índice glicêmico alto provoca a liberação de insulina e queda de performance devido a instalação de hipoglicemia de rebote. Seria mais interessante tomar maltodextrina durante o treino, ajudando assim a manter estável a glicemia e a prolongar o tempo de exercício. Se a idéia for comer algo antes do treino, seria melhor um carboidrato com baixo índice glicêmico, tais como: batata doce, inhame, frutas, macarrão ou pão integrais, cerca de 40 minutos antes.

  4. uso de repositores energéticos durante o treino
    se a idéia for correr ou pedalar por 30 minutos para queimar gordura, de nada adianta abastecer o corpo com açúcar durante essa atividade, pois assim o organismo nem precisará mobilizar a reserva de gordura para suprir energia. E dessa forma, não haverá a queima de gordura desejada. Apenas recorra a  esses repositores durante o treino se o objetivo for performance, a fim de poupar o glicogênio muscular e correr mais por mais tempo. Para quem quer apenas 30 minutos de queima calórica, basta suprir o corpo com água durante e isotônico após o treino.

  5. tomar proteína em excesso
    o uso de suplemento proteico é recomendado quando a ingestão na alimentação regular é baixa, e assim corre-se o risco de aumentar o catabolismo (quebra de proteínas dos músculos) e o retardo da recuperação pós treino. No entanto, o máximo de proteína diária que o corpo de um atleta precisa é de 2g por peso corporal. Para mim, que peso 83kgs, bastam em média 160g de proteína diária. Mais que isso será filtrado pelos rins e descartados pela urina, forçando o corpo a trabalhar mais para limpar esse excesso. Outro agravante é o aumento da excreção de cálcio.

  6. tomar whey com leite após o treino
    após o treino é preciso fornecer ao corpo energia para repor o açúcar perdido no treino, pois esse nutriente será o primeiro a ser buscado pelo organismo. Depois de controlada a glicemia (taxa de açúcar no sangue) é que o músculo buscará por proteína. E o whey é uma proteína isolada de rápida absorção, ja pronta para captação muscular. Mas associá-la com leite diminuirá o tempo dessa absorção, com lentidão no esvaziamento gástrico e na absorção celular. Melhor tomar um shake de whey com dextrose dissolvidos em água após o treino.

  7. tomar vitaminas e sais minerais em excesso
    hipervitaminose é um mal bastante comum que causa diversas doenças ao corpo. Além do que a ingestão inadequada de um, pode causar a deficiência de outro nutriente. Consulte seu nutricionista para saber o que você realmente precisa tomar. Leia mais sobre hipervitaminose no meu próximo post.

    0 comentários: