Dor Lombar e o Método Pilates

O nome Pilates vem do autor desse método de treinamento que visa melhorar a flexibilidade, consciência corporal, equilíbrio e força. Os seis princípios do método são: concentração, respiração, alinhamento, controle de centro, eficiência e fluência de movimento (KOLYNIAK, 2004).

Joseph Hubertus Pilates nasceu na Alemanha em 1880. Em 1923, Pilates mudou-se para Nova Iorque, onde abriu seu primeiro estúdio. Nos anos 40 ele atingiu notoriedade entre os bailarinos. 

O programa de treino é focado nos músculos posturais que ajudam a manter o balanço corporal que é essencial para dar suporte à coluna. Em particular os exercícios do Pilates melhoram a respiração, o alinhamento postural e o alongamento da musculatura profunda do tronco, que são importantes para aliviar e prevenir as dores na coluna.

A técnica pode ser praticada por pessoas de todas as idades e níveis de condicionamento físico. Além disso, o Pilates ainda trás como benefícios a melhoria da concentração, coordenação motora e consciência corporal.

Muitos alunos procuram o pilates por indicação de RPG (Reeducação Postural Global) ou lombalgia. Muitos acreditam ainda ser um método de treino eficiente e tranquilo, sem o suor das academias normais. No entanto, apesar de ser um método de treinamento bastante promissor para o alivio da dor lombar cronica, o método Pilates não é o único nem o ultimo recurso a ser utilizado. Nem tampouco leve de sobrecargas ou suores.

Mas o método Pilates é uma eficiente ferramenta para fortalecer a musculatura extensora das costas, atuando no desequilíbrio entre a função dos músculos envolvidos na extensão e flexão de tronco, que é um forte indício para desenvolvimento de distúrbios da coluna lombar.

Aliás, a dor lombar crônica pode ser causada por doenças inflamatórias, degenerativas, neoplásicas, defeitos congênitos, debilidade muscular, predisposição reumática, sinais de degeneração da coluna ou dos discos intervertebrais e outras. A fraqueza e a baixa resistência isométrica dos músculos eretores da espinha lombares também estão associadas com a etiologia da dor lombar. Segundo um recente estudo publicado no Brasil (Anderson G., 2005), em alguma época da vida, de 70 a 85% das pessoas sofrerão de dores nas costas. 

O tratamento que é comumente utilizado para melhora da dor lombar crônica são exercícios, laser, massagem e manipulação da coluna; tratamentos físicos como acupuntura, escola da coluna, hidroterapia, TENS, tração, ultrasom, pilates e terapia craniosacral são de valores desconhecidos ou ineficazes e não devem
ser considerados (MAHER, 2004). 

Alguns estudos trataram de verificar o quanto o metodo Pilates poderia ajudar a curar a lombalgia de alguns alunos. Os sujeitos foram avaliados antes, com 3, 6 e 12 meses após o tratamento com pilates. A dor lombar melhorou e permaneceu assim durante os 12 meses (RYDEARD, 2006). Houve uma redução significativa na intensidade da dor lombar em um grupo de pacientes que seguiram um protocolo diário por 10 dias do método pilates.

Em outro estudo onde foi seguido um protocolo do método Pilates, obtiveram resultados positivos em relação à postura e flexibilidade do corpo (SEGAL, et. al, 2004). Também foi relatado um caso de uma mulher de 39 anos com escoliose, que apresentava severa dor lombar crônica e comprometimento de suas atividades de vida diária. Após o tratamento com o método pilates as limitações e a qualidade de vida melhoraram muito, porém ainda existem e precisam ser melhoradas (BLUM, 2002).

Acredito que o Método Pilates é eficaz na melhora da dor lombar crônica, melhorando também a flexibilidade e a postura. Por ser um método de baixo impacto articular e muscular pode ser utilizado em diversas áreas da fisioterapia. Contudo, quando bem controladas as cargas e sobrecargas da musculação, os efeitos positivos da academia também são bastante significativos.

0 comentários: