Ator de musical: triatleta dos palcos

Já comecei a colher as informações sobre a aptidão física dos atores de teatro musical. Esse será meu mestrado pela faculdade de medicina da USP, visando conhecer a real demanda física dos espetáculos musicais e o quanto nós atores estamos preparados para eles.

Há muitos artigos na literatura que estudam os bailarinos. Há bastante também que estudam os cantores. Dos atores puramente quase não há estudos. Se buscarmos pelo ator de musical, que mescla as três artes acima, menos ainda (na verdade apenas dois).

As lesões afastam muitos atores dos palcos, seja temporária ou definitivamente.  Já sabemos que lesões de membros inferiores (pés, tornozelos e joelhos) são as mais comuns nos bailarinos. Mas será que o mesmo acontece com os atores? Essa é uma das respostas que busco no meu estudo.

O ator de musical reúne o físico do bailarino com a projeção vocal do cantor e ator, que por sua vez, exigem esforço cardiopulmonar e musculatura da parede abdominal mais forte para a projeção da voz falada ou cantada.

Para cantar e dançar ao mesmo tempo o ator deve ter um preparo físico adequado, com alto VO2 máx e resistência muscular suficiente. E nessa investigação tenho o apoio do elenco de Cabaret, próximo espetáculo musical da Claudia Raia, sob direção de José Possi Neto.

Os atores estão fazendo avaliação física com teste ergoespirométrico e isocinético de joelho. Com isso conseguiremos quantificar a aptidão física deles e a diferença de força muscular dos extensores e flexores do  joelho. A partir daí conseguimos prever as lesões que poderão sofrer pela fraqueza muscular ou aptidão aquém do necessário. Além disso, podemos predizer sobre a demanda física da peca.

No entanto já sabemos de antemão que, sendo um espetáculo de Cláudia Raia com coreografias de Alonso Barros, certamente a demanda física será altíssima.

Minha hipótese neste estudo é de que tendo um bom preparo físico, o ator de musical conseguirá realizar seu trabalho com menos esforço e mais criatividade.

Imagine um ator dançando e, sem fôlego devido a coreografia pesada, tenta cantar as notas agudas sem desafinar. Uma missão quase impossível.

E se o ator apenas dançar sem cantar, ele será um bailarino e não ator de musical. Pelo menos é esse o perfil dos artistas que avalio neste estudo: aquele que canta, dança e interpreta as cenas ou números musicais na composição de um personagem.

Pensando o ator de musical dessa forma, fácil vê-lo como um triatleta dos palcos.

0 comentários: