Com que roupa eu vou?

O personal acaba por indicar tudo aos seus alunos. Qual treino, qual esporte, qual suplemento, qual dieta... Ate mesmo qual roupa, qual tênis e quais acessórios.

Tenho recebido duvidas sobre as roupas, então direi minha opinião.

A tecnologia textil está muito avançada. Muitas marcas oferecem o que há de melhor em vestuário esportivo, seja qual for a modalidade praticada. Além do tipo de tecido, há o melhor corte e modelo para cada corpo e cada movimentação.

Sendo assim, como decidir?

Hoje existem três tipos de fibras, delas se originam os fios:

- Naturais: como o próprio nome diz são fibras retiradas da natureza, sem a interferência do homem na sua criação. Exemplos: algodão, linho (ambas fibras vegetais), lã e seda (as duas últimas fibras animais).

- Artificiais: são aquelas produzidas pelo homem, porém, é usado matéria prima natural para sua fabricação. Na viscose, por exemplo, o material natural é a celulose.

- Sintéticas: são feitas de polímeros (compostos químicos) derivado do petróleo. São nessas fibras que os corredores devem ficar de olho. Isso porque as camisetas de poliamida e poliéster são sintéticas.

Há inclusive empresas criando o filamento “inteligente” de poliamida, que tem em suas moléculas micro-partículas emissoras de infravermelho longo capazes de ativar a microcirculação sanguinea na área do corpo em contato com a roupa, oferecendo vários benefícios ao organismo. Os destaques são a melhoria na termorregulação e na produção de energia, retardando a fadiga muscular (aquela causada pelo acúmulo de ácido lático), além do aumento da elasticidade da pele.

Essa tecnologia de ponta é melhor divulgada no vestuário de atletas de natação. Muitos estudos tem sido feito sobre a modelagem mais adequada e o tecido de menor atrito com a água. Certamente você já viu um nadador de macacão, outro de sunguinha e outro ainda de bermuda. Cada um com sua preferência de modelagem.

Contudo, o praticante de atividade física, independente da modalidade, sempre procura usar roupas e acessórios adequados para uma melhor performance e conforto.

Na corrida por exemplo, a camiseta, assim como o tênis, é o uniforme básico. Por isso o corredor deve praticar o esporte com o que lhe proporcione maior conforto e também melhor desempenho.

Atualmente uma das fibras mais interessantes para os esportistas é a sintética. Com ela é possível criar tecidos de poliéster e poliamida, que são usados para a confecção de roupas esportivas. Isso porque durante o treino, o atleta transpira e conseqüentemente libera o suor em forma de água. Esse suor deve ser dissipado rapidamente para não atrapalhar a performance do atleta.

Porém, normalmente as camisetas das provas são feitas em grande escala e com custos reduzidos. Isso significa que o tecido usado é inadequado, sem dissipação do suor, além de os tamanhos P, M e G variarem muito. Agarram aqui ou ficam muito largas ali. Isso atrapalha a braçada e a movimentação. Além de pesarem quando úmidas.

Já os tecidos sintéticos absorvem menos água. A poliamida, por exemplo, tem 4% de absorção, enquanto o poliéster é o tecido com menor absorção da água, cerca de 0,5%.

Essa lógica pode ser empregada inclusive nos praticantes de musculação. Sendo assim, abandone a polo lacoste no vestiário e suba para a sala de musculação com uma camiseta mais apropriada.

Ao escolher a roupa, pense no movimento que você vai executar (propiciando maior liberdade possivel), as posições que permanecerá (nem justas nem largas demais de modo que mostre o que deveria estar escondido), o tipo de tecido (se acumula água ou não) e as cores. Sim, cores. Não apenas para combinar com a cor do tenis, mas para que não sujem demais com lubrificantes de aparelhos ou que não sejam apagadas demais durante uma prova de rua, por exemplo, quando a visualização da cor pode te livrar de um atropelamento.

0 comentários: