Sandro Personal Trainer

www.personalsandro.com

Sandro Personal Trainer

www.personalsandro.com

Sandro Personal Trainer

www.personalsandro.com

Sandro Personal Trainer

www.personalsandro.com

Sandro Personal Trainer

www.personalsandro.com

Meu trabalho de personal

Tenho recebido emails dizendo que escrevo sobre o trabalho de personal de forma genérica, reclamando que apenas escrevo como os profissionais deveriam trabalhar ou como os alunos deveriam se comportar, mas sem dizer como é o meu estilo de trabalho. ok, vou dizer como desenvolvo meu trabalho.

Primeiramente jamais abordo um aluno oferecendo meu serviço. Não sou vendedor ambulante para comercializar algo na abordagem mano a mano. Apenas trabalho com competência e isso acaba por ser minha vitrine para atrair novos alunos. Tem sido assim e com sucesso.

No primeiro contato com o novo aluno, busco saber seus objetivos. As vezes os alunos dizem algo genérico, mas escondem alguma real motivação para a contratação de meu serviço. Uns alegam saúde, mas de fato querem estética. Outros alegam fortalecimento muscular, mas depois se dão conta que querem de fato melhorar o rendimento num esporte específico. Há mulheres que buscam qualidade de vida, mas querem apenas emagrecer para satisfazer seus maridos... enfim, cada um tem suas razões e prefiro saber exatamente qual a motivação do meu aluno, assim consigo planejar melhor o treino e alcançar os objetivos mais rapidamente.

Segundo passo é saber sobre alguma restrição física ou médica. Em geral peço atestado ou avaliação médica. Isso garante que não teremos problemas durante os treinos, nem hipertensão de surpresa ou hipoglicemia repentina oriunda de diabetes. Há ainda possíveis apagamentos durante treino intenso devido problemas cardíacos, tais como sopro ou arritmia. Trabalhar em segurança é primordial.

Durante os treinos eu sigo avaliando meu aluno quanto às capacidades físicas: flexibilidade, força, coordenação, equilíbrio, agilidade, etc. Essas capacidades são fundamentais para melhor qualidade de vida. Não basta colocar pesos nas mãos dos alunos. Eles devem saber o que fazer e como fazer bem os exercícios, de modo que haja transferência positiva para suas vidas e movimentos cotidianos. Caso haja alguma deficiência, planejo exercícios específicos. Sempre busco misturar coordenação e equilíbrio no treino de força.

Avaliação postural faço constantemente. Nunca deixo um aluno com cifose ou lordose ao executar qualquer movimento. Nem deixo que a caminhada entre um aparelho e outro seja de ombros caídos ou abdominais soltos. Meus alunos bem o sabem...

Um diferencial: meu celular. Quem já treinou comigo sabe que não desgrudo do meu amado iphone. Isso porque nele tenho um programa que controlo a frequência dos alunos e os objetivos de cada aula passada e futura. Assim tenho controle do plano de treino de cada um dos meus mais de 10 alunos diários, além de finanças e desempenho. Esse programa esta online e meus alunos podem acessar nas suas áreas restritas, mediante suas senhas pessoais.

Nos treinos, não pego leve. Claro que obedeço as habilidades e capacidades individuais, mas sempre busco crescer um pouco além do esforço possível que o aluno apresenta. O treino deve tirar o aluno da zona de conforto, tem que fazê-lo evoluir a cada treino. Não gosto de alunos que fazem "corpo mole". Exijo determinação, disciplina e vontade. Com isso conseguimos juntos nossos objetivos.

Sei que as vezes é bastante difícil. Também treino pesado e me exijo demais. Mas como diz o ditado: "No pain, no gain".

Conhecimento técnico é fundamental. Estudo muito para saber fazer o que faço. Acredito que cabe ao personal saber qual exercício trabalha o musculo que queremos trabalhar, qual será mais eficiente e benéfico ao treino. Há muitas variáveis a serem controladas nessa escolha, que vão além de saber a diferença entre supino reto ou inclinado.

Por fim, tenho extremo respeito e carinho com cada aluno, buscando seus objetivos como se fossem meus e me dedico para que sejam bem sucedidos e que se transformem comigo. Quero que evoluam em suas capacidades físicas, em qualidade de vida e na estética desejada. Me realizo ao ver essas transformações e na impressionante capacidade de adaptação do corpo humano.

Frio chegando... motivação a prova!

Chegando o frio e a preguiça aumenta. Cai a frequência à academia e aumentam os happyhours. Cuidado, é assim que começa a cair a musculatura e a crescer a barriga.

No frio ainda dá mais vontade de bebidas alcoólicas e de comidas gordurosas. Quanto mais calóricas, mais apetitosas. Pois dão energia ao corpo preguiçoso que custa a se aquecer no inverno. O chocolate então passa a reinar nas fomes fora de hora e sobremesas...

Este é o momento de decidir o que você busca com teu corpo. Ou melhor, é agora que você vai se defrontar com tuas reais motivações.

Se você buscou apenas um corpo mais magro para a época do verão, sem vínculo com saúde e bem estar, provavelmente você será mais um(a) das estatísticas de abandono das atividades físicas. Engordará durante o inverno e voltará a buscar a academia na primavera.

Mas se você apostou em qualidade de vida e corpo saudável, ganhando a boa forma como consequência de nova postura diante dieta e exercício físico, você estará motivado(a) a continuar os exercícios, pois sente-se mais forte e disposto(a), com resposta positiva do organismo.

O corpo adapta-se rapidamente ao estímulo que você propõe. Se você o submete às atividades físicas e dieta de qualidade de nutrientes, o corpo logo responde com mudanças positivas. Mas ao contrario, se você o coloca no sedentarismo e excesso de açucares, a resposta será aumento de gordura corporal e queda de massa muscular.

Aconselho a pensar com cuidado sobre teus objetivos quando ao corpo e saúde.

Se você tiver motivação suficiente, pode praticar exercícios em casa mesmo, sem academia. Pode correr nos parques, pedalar nas ciclovias da cidade. Pode fazer alguns exercícios de força caseiros, com uso de cadeiras ou pacotes de arroz...

Se não tiver motivação para treinar sozinho, busque a companhia de um amigo ou matricule-se em aulas coletivas de ginastica nas academias. Vale qualquer aula que te ajude a manter-se fisicamente ativo: step, localizada, jump, natação, hidroginástica, voley, etc...

Se ainda assim não rolar, tente treinar com um personal trainer. Sem dúvida que o investimento valerá a pena. Ele te motivará a treinar. Você terá um compromisso que vai alem da pura motivação. Juntos vocês montarão um treino que te motive, que te agrade nos exercícios, que alcance teus objetivos.

Dessa forma não há desculpa. A escolha é tua. A responsabilidade pelo teu corpo é tua. Com ou sem personal, com ou sem aulas coletivas, com ou sem academia, cabe a você cuidar de tua saúde. E ela será refletida em teu corpo, sendo ele sarado ou sedentário ao fim do inverno.