Morte subita

Um jogador sueco de 29 anos desmaiou e morreu de parada cardíaca minutos após dar a liderança a seu time na Liga Sueca de futebol, neste domingo dia 2 de setembro de 2012. Victor Brannstrom abriu o placar para seu time aos 4 minutos de jogo e logo em seguida caiu no gramado.

Também neste domingo, o corredor Juan Pablo de la Mora, de 33 anos, faleceu após correr os 42 quilômetros da Maratona Internacional da Cidade do Mexico. Ele cruzou a linha de chegada da prova de fundo, instalada no centro histórico da capital, mas momentos depois passou mal e desmaiou. Pouco depois, morreu enquanto era atendido por um paramédico.

Parecem casos isolados, algo que ocorre só com atletas. Mas na verdade a chamada morte subita é mais comum do que se imagina. E ocorre em qualquer lugar, inclusive em academias.

A morte súbita se dá ainda na primeira hora quando se percebe alguns sintomas até o momento em que leva ao óbito, ou nas primeiras 24 horas depois da última vez em que a pessoa é vista com vida. Atinge tanto pessoas sadias como doentes, de sedentários a atletas.

Geralmente é provocada por arritmias cardíacas que levam a uma significativa queda do desempenho cardíaco que acarreta na falta de sangue no cérebro que por sua vez é muito sensível a falta de oxigênio e faz com que a pessoa perca a consciência, essas arritmias cardíacas geralmente são bloqueios aurículo ventriculares, paradas sinusais ou taquicardia ventricular seguida de fibrilação ventricular.

A morte súbita esta vinculada a alguns fatores de riscos que são, ocorrência de tontura ou perda de consciência durante exercício, história familiar de morte súbita, dor torácica durante esforço e palpitações associadas e electrocardiograma anormal.

A morte súbita em adultos está constantemente ligada a problemas no coração, e geralmente a patologia não é conhecida por seu portador, principalmente em jovens esportistas. Podem ser por excesso de atividades físicas, inflamatórias, degenerativas, congênitas, infecciosas, Miocardite, Síndrome de Marfan, uso de drogas, tóxicos, por reflexos nervosos ou a soma destes.Outras causas também são atribuídas a Síndrome Wolff-Parkinson-White, síndrome do QT longo congênito, síndrome de Brugada, hemorragia no cérebro, geralmente por aneurismas congênitos que se rompem, commotio cordis (percussão violenta no tórax causada por uma pancada brusca).

Eis a importancia da avaliação física prévia aos treinos em academias ou com seu personal trainer. Há alunos que são portadores de doenças crônicas silenciosas e que, num momento de maior esforço num treino pesado, podem ter uma taquicardia, ou aumento/queda brusca de pressão arterial, ou ainda variação glicêmica exagerada e simplesmente apagarem caindo ao chão e deixando as pessoas ao redor desesperadas sem saber o que fazer.

Não há idade de risco, não há grupo de risco definido. Todos que praticam atividades físicas regulares devem fazer avaliação para checar a resposta cardiopulmonar e fisiológica ao esforço físico.

Veja o video abaixo:



0 comentários: