Idosos sedentários

Tão triste perceber que a atividade física poderia evitar que tantos idosos sofressem de doenças crônicas e se tornassem dependentes de remédios. Mas ao invés disso, o sedentarismo tem levado a melhor... será o teu presente, ou teu futuro?

Ontem fui num posto de saúde da prefeitura de São Paulo na barra funda. Enquanto aguardava na fila para atualizar o cartão de vacinas, reparei que na fila ao lado, no setor de farmácia, se aglomeravam idosos em busca de remédios distribuidos gratuitamente mediante o receituário médico. E não é de espantar que a maioria dos idosos naquele momento portavam receitas de medicamentos para controle de colesterol, tireóide, hipertensão arterial, diabetes, depressão e dores articulares.

O atendente da farmácia explicava pacientemente o nome e efeitos de cada remédio e, devido a minha demora em ser atendido, uma vez que os casos de "prioridade por idade" eram maioria, fiquei avaliando as explicações e os sintomas relatados.

Infelizmente percebi que a atividade física poderia ter evitado que todos esses idosos se aglomerassem lá. Todas as doenças apontadas poderiam ter sido evitadas ou controladas com a prática da atividade física moderada. E nem precisaria ser numa academia, muito menos com investimentos altos em personal trainer ou roupas e assessórios de marca.

Bastava que o governo incentivasse a atividade física em ginásios poliesportivos, quadras públicas ou piscinas da prefeitura. Muitas já estão disponíveis, como é o caso da piscina do Pacaembú (que permite a utilização de suas dependências aos moradores da região).



Bastava que esses idosos praticassem alguma atividade física, sejam caminhadas moderadas de mais de 30 minutos diários, leves alongamentos e, na medida do possível, seria perfeito que fizessem musculação para fortalecimento ósseo, articular e muscular.


Com relação à saúde física, conseguiriam a perda de peso e da porcentagem de gordura corporal, com redução gradativa da pressão arterial em repouso, melhora ou controle do diabetes, diminuição do colesterol total e aumento do HDL-colesterol (o "colesterol bom").
Já no campo da saúde mental, a prática de exercícios ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, melhora o fluxo de sangue para o cérebro, ajuda na capacidade de lidar com problemas e com o estresse.
 
Se você é idoso ou tem algum idoso na família, procure por alguma orientação esportiva, seja da prefeitura ou de alguma academia do teu bairro. Certamente a atividade física pode ajudar muito a diminuir os sintomas de doenças crônicas e a te proporcionar melhor qualidade de vida. 

0 comentários: