Trabalho muscular

Vejo nas academias que muitos alunos conhecem bem as maquinas de exercícios de musculação, dominam os pesos livres, carregam bem as barras e polias. Contudo, se confundem quanto ao preparo prévio dos músculos auxiliares do agonista, evitando assim as lesões. Você conhece esses músculos auxiliares?


Antes de buscar crescer nos treinos na academia, você deve buscar entender da fisiologia e biomecânica que envolvem a hipertrofia. Entenda também do processo de contração do músculo, do trabalho articular e da sinergia dos músculos durante um movimento.

E acima de tudo: prepare os músculos adequadamente conforme suas funções a fim de evitar lesões e melhorar o rendimento de cada um no objetivo final de hipertrofia.
 
Digo isso pois não é raro ver alunos crescendo peitoral mas esquecendo de treinar ombros e manguito rotator adequadamente. O mesmo se dá com treinos pesados de agachamento sem a estabilização necessária do joelho em seus músculos flexores e extensores.
 
O resultado desse erro é fatal: lesões articulares de ombro e joelho, dores crônicas, tendinites, bursites, esmagamento de menisco e estiramento dos músculos sinérgicos fracos.

Qual o trabalho muscular?

Para entender o trabalho muscular é importante entender que a contração do músculo  ocorre para produzir um trabalho mecânico de deslocamento de um segmento do corpo. Ou seja, quando contraímos o músculo bíceps braquial por exemplo, realizamos a flexão da articulação do cotovelo e, portanto, aproximamos a mão do ombro de seu mesmo braço.

Assim, o trabalho do músculo acontece pelo deslocamento de um ou mais ossos, com emprego de força sobre braços de alavancas físicas que movimentam as articulações.

Durante um movimento de supino reto, por sua vez, ocorrem diversas contrações em vários músculos, não apenas do peitoral (chamado nesse momento de agonista). Todos esses músculos sinérgicos trabalham em conjunto para que a ação principal do agonista ocorra com força, coordenação e exatidão.

Antes de pensar em crescer o peitoral então, é preciso fortalecer seus músculos auxiliares, antagonistas e fixadores, de modo que o músculo agonista possa suportar a carga necessária para a hipertrofia sem prejuízo das articulações ou lesão de tendões ou ligamentos.
 
Mas quais são todos esses músculos?

Cada músculo recebe uma função diferente em cada movimento que executam, sendo essas funções:
  • músculo agonista: é o agente principal na execução de um movimento. São divididos em motores primários (os que participam mais intensamente da execução do movimento) e secundários
  • músculo antagonista: é aquele que se opõe ao trabalho de um agonista
  • músculo sinergista: aquele que atua no sentido de eliminar algum movimento indesejado que poderia ser produzido pelo agonista
  • músculo fixador: fixam um segmento do corpo para permitir um apoio básico nos movimentos executados por outros músculos. Para muitos é uma subcategoria dos sinergistas.
Importante: estes conceitos são dinâmicos, ou seja, um músculo que em determinado momento é agonista em outro pode ser antagonista ou fixador ou sinergista.
 
Por que conhecer esses músculos?

Sabendo da ação e interação dessas funções musculares, o treino que você realizar para um músculo agonista deve levar em consideração a força e o aquecimento prévio dos músculos sinérgicos. Em especial os fixadores, pois estes garantirão a postura correta do corpo durante o movimento.

Além disso, esses músculos fixadores garantirão também o correto uso da articulação durante o exercício, protegendo as estruturas internas (ligamentos, tendões, capsulas articulares, etc) de sobrecargas ou lesões.

Devemos lembrar ainda que durante a contração concêntrica de um músculo agonista, temos o forte trabalho do músculo antagonista em contração excêntrica para controle do movimento. Portanto esse músculo deve ser forte o suficiente para controle da sobrecarga que estiver sendo imposta ao agonista.

Em resumo, apesar de você conhecer alguns exercícios na sala de musculação e saber executá-los bem, isso não significa que possa carregar demais na carga sem o preparo adequado dos demais músculos envolvidos no movimento.



0 comentários: