Já ouviu falar de cadeias cinéticas?

Ao leigo esse nome parece estranho, mas ao profissional de educação física ou fisioterapia é um conceito bastante importante. Especialmente como técnica de reabilitação dos membros inferiores.


Na hora de escolher exercícios, o professor leva em conta as características de cada cadeia e atividade para prescrever ao aluno um melhor e mais adequado treinamento. Trata-se de uma decisão técnica que o profissional dispõe para prevenir lesões ou ajudar na reabilitação segura e sadia.

Aos alunos de academias vale conhecer as cadeias para saber como é o impacto do exercício sobre as estruturas internas dos membros, podendo então decidir dentre essas duas possibilidades de treinos.

CADEIA CINÉTICA ABERTA

Um movimento em CCA é aquele que ocorre quando o segmento distal move-se livremente no espaço (ex: banco-chute, cadeixa flexora, a perna se movimentando livre na fase de balanço da corrida, o chutar de uma bola ou levar um copo a boca para beber).

Características

É importante saber que os exercícios desse tipo de cadeia cinética ocasionam maior impacto e risco de lesão, pois aumentam as forças de cisalhamento, possuem maiores acelerações e desacelerações dos membros e são em geral movimentos balísticos.

Geralmente são escolhidos exercícios de CCA para aumentar força ou amplitude de movimento.

Além disso:

• Na maioria das vezes o movimento ocorre em uma articulação
• Diminuição das forças compressivas
• Melhora a força e amplitude do movimento
• Maior risco de lesão



CADEIA CINÉTICA FECHADA

Um movimento em CCF é aquele cujas articulações terminais encontram resistência externa que impede ou restringe sua movimentação livre (ex: o leg press, o supino reto, a flexão de braços no chão, a utilização dos braços para se levantar de uma cadeira, o apoio em muletas, agachamentos).

 

Características

Geralmente são exercícios de suporte de peso, com cargas compressivas e de maior estabilidade articular, tendo forças de resistências aumentadas.

Alguns professores têm preferência em realizar atividades em CCF pois parecem replicar tarefas funcionais melhor do que as CCA, permitindo toda uma cadeia muscular se exercitar ao mesmo tempo. Também ajudam a reforçar a sincronização dos padrões de ativação muscular tanto para agonistas quanto para antagonistas.

Além disso, acredita-se que exercícios em CCF sejam mais seguros e que produzam forças potencialmente menos danosas a estruturas em processo de reparo pós lesão do que os exercícios em CCA.

• Menores acelerações e desacelerações
• Melhor ativação proprioceptora
• Melhor estabilidade dinâmica
• Mais indicada em atividades pós lesões

0 comentários: