Exercícios e sistema imune

Recebi essa questão de uma leitora e acho pertinente comentá-la num post: As pessoas que praticam esportes regularmente podem se beneficiar de melhor resistência às doenças com um sistema imunológico mais forte?



Já é bem sabido que a prática regular de exercícios traz diversos benefícios ao sistema cardiovascular, função respiratória, no tônus muscular, na diminuição do estresse e melhora do estado emocional dos praticantes.

E há sim benefícios também na função imunológica e maior resistência à infecções.

O sistema imunológico é uma complexa rede de células e moléculas dispersas pelo organismo com a capacidade de reconhecer células intrusas e doentes de modo a desenvolver uma resposta defensiva contra essa invasão, inativando-as ou destruindo-as.

Diversos estudos observaram que em conseqüência da realização de exercícios (e da variação hormonal decorrente do estresse do organismo) ocorrem variações positivas das células do sistema imune: dos leucócitos, da distribuição das populações linfocitárias e da função imunológica (neutrófilos, células acessórias, células citotóxicas espontâneas ou Natural Killer, linfócitos T e B).

A qualidade e a intensidade dessas alterações dependem da intensidade e duração do exercício. Isso porque o "estresse" produzido pelo exercício físico intenso é acompanhado por um aumento da descarga de catecolaminas (adrenalina e noradreanalina), que exercem influência sobre uma série de processos fisiológicos, representando um fator a mais na modulação da imunidade.

Conforme o gráfico abaixo, na atividade física moderada o risco de infecções do trato respiratório é bem reduzido. No sedentarismo ou na atividade física intensa há maior exposição às infecções:



Aos idosos a melhora do sistema imune com os exercícios é bastante sensível e animadora.

Se considerarmos que na terceira idade há um declínio natural do sistema imunológico, expondo o idoso a doenças e infecções, os efeitos positivos do exercício promoverão melhora da atividade antitumoral das células NK e macrófagos. Essas alterações são bastante importante para prevenção de doenças.

Cuidado com a nutrição

Alguns fatores nutricionais podem provocar queda no sistema inume pós exercício.

  • A redução da ingestão de proteínas pode originar uma depressão da resposta imunológica. 
  • A deficiência de ferro está associada a um aumento da prevalência de infecções
  • O déficit de zinco e magnésio estão relacionados com quedas de imunidade
  • Em indivíduos malnutridos há reduções da produção de interleucina-1 e de proteínas contra processos infecciosos e inflamatórios.

0 comentários: